Seminários e Conferências Documentação - Universidad Complutense, VII Seminário Hispano-Brasileiro de Pesquisa em Informação, Documentação e Sociedade (7shb) 2018

Tamanho da fonte: 
Memória e patrimônio modernista: a Universidade de Brasília e acervos imagéticos
Lara Santos de Amorim

Última alteração: 2018-11-11

Resumo


Em 1987, Brasília foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, tornando-se o primeiro conjunto urbanístico da era moderna a receber tal distinção. Inaugurada em 1962, a história da Universidade de Brasília se confunde com a história de Brasília, capital e centro do poder político do país. Esta pesquisa se propõe a investigar como a UnB se relaciona com seus bens patrimoniais modernistas, no sentido de perceber como se dá a gestão da memória institucional, quando se trata de relacionar a Universidade com a memória da cidade. Para isso torna-se necessário identificar, a partir de uma pesquisa etnográfica qualitativa, quais os acervos das principais unidades acadêmicas capazes de construir os sentidos dessa memória e quais os agentes institucionais (professores ou gestores) que se tornaram memórias vivas ao relacionar a memória institucional da UnB e a memória da cidade. Assim, ao se identificar documentos institucionais e acervos imagéticos com esta característica, pode-se pensar também em como oferecer ao usuário da informação na Universidade, novos dispositivos de preservação, recuperação, organização, análise, acesso e divulgação de acervos, a partir dos quais, a memória institucional da Universidade de Brasília seja capaz de valorizar sua memória como patrimônio moderno da humanidade.


Texto completo: PDF